quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Vocês conhecem a Pitaia?


Bem pessoal, conheci essa fruta outro dia, nunca a tinha visto!
É do tamanho de um abacate grande e custa caro. Pelo menos eu paguei R$ 9,80 em uma, mas valeu a pena! tem sabor muito agradável e é muito bonita, suculenta e macia.
A dica para ter certeza de que está madura é esperar até que suas folhinhas verdes fiquem murchas e ela fique macia ao toque.
Conversando com minha mãe veio a curiosidade de saber se ela era brasileira ou não, já que nunca a tinhamos visto em nossa cidade.
Aí resolvi pesquisar e divido com vcs  o que descobri sobre ela:

Bem pessoal, a pitaia o pitaya é uma fruta de origem incerta, provávelmente Caribe e Indias Ocidentais.
Descobri tb que em 2009 o seu quilo chegou a custar R$ 90,00 no Mercadão...
Nome científico: Capsicum annum
Princípio ativo: Glicídios, protítios e resinas, dentre outros. 
Propriedades: Vitaminizante, digestiva, antiespasmódica.
Indicações: Muito usado nos casos de flatulência, dispepsia, nos quadros de astenia e indisposição. É bom para a pele, unhas e cabelos. 
Toxicologia: Em altas doses provoca elevação da pressão arterial e taquicardia.

Isto é  um alimento muito bom, mas muito forte! Apesar de seu sabor suave não se pode exagerar em seu consumo.
Segundo a revista shape é ótima para auxílio na perda de peso, porque tem ação termogênica. Quer dizer, apresenta uma maior dificuldade em ser digerida pelo organismo e, com isso, aumenta o gasto energético, auxiliando na queima de gordura. “Isso acontece porque a tiramina, um aminoácido presente na pitaya, ativa um hormônio do nosso organismo chamado glucagon, que estimula o próprio corpo a utilizar as reservas de açúcar e gordura e transformá-las em energia” disse a nutricionista do Dietnet Assessoria Nutricional, Lara Natacci, de São Paulo, para a revista. Pelo mesmo motivo, diabéticos não devem consumi-la! Mas o mais curioso e surpreendente que descobri é que ele é o fruto de uma espécie de cáctus chamada cactos epífitos.
O termo pitaya significa fruta escamosa e como seu pé só floresce à noite tb é conhecida como flor-da-lua, dama da noite e  em inglês dragon fruit.

Existem três variedades, todas com a pele folhosa:
Hylocereus undatus, branca por dentro com pele rosa
Hylocereus polyrhizus, vermelha por dentro com pele rosa
Selenicereus megalanthus, branca por dentro com pele amarela
A fruta pode pesar entre 150-600 gramas e seu interior, que é ingerido cru, é doce e tem baixo nível de calorias. Da fruta se faz suco ou vinho; as flores podem ser ingeridas ou usadas para fazer chá. As sementes se assemelham às do gergelim e se encontram dispersas no fruto cárneo.
Crê-se que a variedade de interior vermelho é rica em antioxidantes.

As pitaias de casca vermelha, particularmente, são grande fonte de Vitamina C.
Pitaias são ricas em fibras e minerais, principalmente fósforo e cálcio. as vermelhas são ricas em fósforo, as amarelas em cálcio.
As sementes são ricas em gordura poliinsaturada, e as vermelhas em particular possuem pouca gordura saturada.
Pitaias também possuem quantidades significativas de antioxidantes, que previnem os radicais livres.
Em Taiwan, diabéticos usam a fruta como substituto para o arroz como fonte de fibras.(Aqui algo contraditório, na dúvida é melhor consultar uma nutricionista)
A pitaia supostamente aumenta a excreção de metais pesados e diminui o colesterol e pressão sanguínea. Comer regularmente 

alivia doenças crônicas do sistema respiratório.



É...É isso aí, vivendo e aprendendo!

Vejam as fotos que tirei da minha:

Colhidas na internet:





Lindíssima!

Apesar de seu valor nutricional, talvez eu não tivesse sentido desejo de experimentar essa espécie, sua cor e formato não são tão atrativos, fico feliz por ter encontrado a vermelha!



Nenhum comentário:

Postar um comentário